CURSOS 2021

Inscrições abertas para os cursos de 2021!

Online via Zoom Meetings

Fevereiro de 2021 é a data para o início das novas turmas da Escola Shinkyu Dojoh de Acupuntura e Moxaterapia Japonesa

Continuamos na modalidade on-line (que veio para ficar, pela eficiência que tem demonstrado!) e, ao mesmo tempo, ansiamos por alternar este modelo com encontros presenciais, respeitando as diretrizes das autoridades sanitárias. Porém, estimamos ser obrigatória a presença física d@s alun@s durante as provas finais dos diferentes cursos. 

Por nossa Escola ser um Dojoh (que, em japonês, quer dizer “lugar de treinamento para a Vida“), tanto nossas aulas práticas (treinamento de técnica) quanto as aulas teóricas são celebradas integralmente ao vivo, e monitoradas exaustivamente por Sensei Yoshihiro Odo e equipe. Possibilitamos também tutorias individuais e em grupo no decorrer do ciclo formativo, para poder atender às diferentes necessidades de noss@s alun@s. 

As modalidades de cursos para 2021 são:

 

  • Meridianologia – Treinamento e reconhecimento dos meridianos e principais tsubo (pontos), através do diagnóstico palpatório:

1º fim de semana de cada mês – sábado e domingo, das 9h30 às 17h (Início em 06/02).

 

  • Técnica de Moxaterapia Japonesa (técnica Onkyu, moxa indireta e moxa direta):

Segundas e quartas-feiras, das 19 às 21h (Início em 01/02).

 

  • Técnica de Agulhamento Japonês, estilo Suguiyama, Mei shin-kai: 

Terças e quintas-feiras, das 19 às 21h (Início em 02/02).

 

  • Curso Avançado de Acupuntura e Moxaterapia Japonesa: 

3º fim de semana de cada mês – sábado e domingo, das 9h30 às 17h (Início em 20/02).

 

Sobre os cursos Shinkyu Dojoh

1. Treinamento e reconhecimento dos meridianos e principais tsubo (pontos), através do diagnóstico palpatório (Meridianologia)


O Estudo dos Meridianos (経絡学 kei-raku-gaku) – canais e colaterais.

 

A meridianologia é um estudo que permite a instrumentalização dos conhecimentos acumulados ao longo de milênios nos países do leste asiático, a respeito do trajeto da circulação energética denominados de ki, ketsu, ei-e, isto é, energias vitais do tipo yin e yang no organismo.

 

O seu estudo no estilo dojoh se realiza de maneira prática e pragmática, o que permite uma relação palpatória dos seus trajetos, reconhecimentos dos tsubo (pontos) e suas manifestações patológicas. 

 

Será ainda acompanhado de seus conhecimentos históricos, filosóficos e culturais, favorecendo a elaboração de raciocínios para serem utilizados de forma a resultar em eficiência terapêutica em Acupuntura e Moxaterapia.

 

2. Técnica de Moxaterapia Japonesa (técnica Onkyu, moxa indireta e moxa direta)

Pouco conhecida, até mesmo entre acupunturistas brasileiros, a terapia utilizando o calor da Artemisia vulgaris, ora aquecendo, ora provocando pequenas queimaduras regeneráveis na pele, é denominada moxa (moksa), por ser este conceito de origem japonesa, onde a palavra original se pronuncia “mogussá”. A sua técnica mais simples consiste em aquecer pontos de acupuntura e locais doloridos utilizando bastão de moxa, resultando em aquecimento local, dilatação dos vasos e melhor irrigação sanguínea, o que promove a recuperação mais rápida das lesões.  

No entanto, no Japão, popularizou-se uma técnica mais importante, que consiste em promover pequenas cauterizações locais, o que resulta na resposta do organismo em forma de fortalecimento imunológico e produção de proteínas regeneradoras. Esta se tornou uma das importantes bases de longevidade com saúde promovida em casa, de consciência corporal e da busca por autonomia na saúde por esta população asiática.

 

Percebendo a lacuna de formação dos terapeutas orientais, particularmente os acupunturistas brasileiros, a Escola Shinkyu Dojoh inicia a formação de moxaterapeuta da escola japonesa, com cinco meses de duração. Os primeiros módulos do curso de Moxaterapia Japonesa têm como objetivo introduzir os conhecimentos e práticas mais simples de moxabustão, a partir dos treinamentos de moxa Onkyu (温灸), que também é traduzida como moxa a distância. A moxa atualmente praticada no Brasil utilizando bastão de moxa faz parte deste módulo introdutório. Ainda praticaremos a produção da moxa a partir da Artemisia vulgaris, e o reconhecimento e a fabricação artesanal dos seus diversos utensílios de bambu. Iniciaremos ainda o treinamento de Kakubutsu-kyú (格物灸 – moxa indireta), utilizando variados intermediários consagrados pelos ancestrais do oriente (sal, missô, folha de ameixa nêspera, gengibre etc). 

 

Os módulos avançados de Moxaterapia irão introduzir treinamentos para moxa direta, isto é, aplicação da moxa diretamente sobre a pele, com variados recursos técnicos de controle da temperatura e/ou cauterização terapêutica, com especial ênfase para a Moxa estilo Fukaya e Mizutani, que introduziu o uso de abafadores de bambu para controle de temperatura e melhor alcance do calor da moxa nas regiões mais profundas.

 

A terapia com a moxa é indicada principalmente para as dores crônicas e antigas, como lombalgias, tensão e rigidez dos ombros, cólicas intestinais e menstruais, e os desequilíbrios provocadas pelas energias yin (frio, umidade, vento), assim como para estresse, ansiedade, fadiga e baixa de energia vital. A sua aplicação junto à acupuntura acelera a recuperação da maioria dos sintomas e patologias indicadas para esta medicina oriental.

 

3. Técnica de Agulhamento Japonês, estilo Suguiyama, Mei shin-kai


Kanshin-hô é um método de agulhamento, isto é, inserção da agulha, desenvolvido por Waichi Suguiyama (1610-1694), que teve a ideia de usar um pequeno cano como condutor de agulhas. Esse método tornou a acupuntura do Mestre Suguiyama indolor, e possibilitou a evolução da acupuntura nos campos mais sutis da energia vital (ki), além de favorecer o acesso para os deficientes visuais também se tornarem acupuntores. Para dominar corretamente o Kanshin-hô, é preciso passar por um intenso treinamento, sob orientação de mestres ou de instrutores, e assimilar os katá, que são a forma detalhadamente correta de manuseio da canaleta e da agulha. 

 

O treinamento do método Kanshin-hô de acupuntura japonesa se baseia no curso da Associação Meishin-kai, do professor Meiyu Okada, que herdou o Estilo Sugiyama de inserção de agulha indolor.

 

A Acupuntura é uma boa opção de tratamento de disfunções digestivas (gastrite, constipação), respiratórias (bronquite e rinite), circulatórias (hipertensão arterial), gênito-urinárias (cólicas), enfermidades infantis (bronquite, rinite) e verrugas. Com a vantagem de não provocar efeitos colaterais, é também muito eficaz no tratamento de lombalgia, cervicalgias (coluna), cefaléias, enxaquecas, dores articulares, neuralgias, ciatalgias, trigêmeo, paralisia facial, insônia, TPM e disfunções menstruais, estresse, ansiedade, bruxismo e ATM.

 

4. Curso Avançado de Acupuntura e Moxaterapia Japonesa

O Curso Avançado de Acupuntura e Moxaterapia Shinkyu Dojoh destina-se aos alunos que finalizaram ou estão em vias de finalizar os três módulos iniciais do curso: Agulhamento, Moxaterapia e Meridianologia. 

Tem como finalidade concluir a boa formação preconizada pelo Shinkyu Dojoh na formação de acupuntor de linhagem japonesa, o profissional que atua integrando acupuntura e moxaterapia, e que conhece os macetes práticos do diagnóstico palpatório adquiridos pelo curso de Meridianologia. 

 

Seu conteúdo é constituído por temas diretamente ligados ao tratamento, que incluem postura terapêutica, anamnese, combinação dos diagnósticos palpatórios e aplicação prática e teórica dos variados recursos técnicos da acupuntura e moxaterapia.

 

É, enfim, a síntese dos conhecimentos práticos, filosóficos e históricos das terapias ancestrais, com respeito aos antigos, mas incluindo e acrescentando os conhecimentos atuais sobre as patologias do mundo moderno.

 

Formação Completa Shinkyu Dojoh

Promovemos curso de formação em acupuntura e moxaterapia japonesa baseado nos treinamentos práticos de como manusear corretamente as ferramentas da agulha japonesa com uso de canaletas, uso das variadas ferramentas de acupuntura desenvolvidas no Japão como shoni hari (acupuntura infantil), agulhas de variados tamanhos e calibres, shiraku (sangrias), variadas técnicas de moxa de boa qualidade, etc. 

Detalhada localização dos meridianos e pontos (tsubo) de acupuntura, aprofundamento nas teorias básicas de yin/yang, san-sai (três campos) e cinco elementos, e sua administração na prática clínica.

 

A acupuntura e a moxaterapia, como parte importante da medicina ancestral desenvolvida no oriente, busca, ainda, uma integração com as medicinas ancestrais dos povos que constituem o Brasil.

 

Objetivos:  

 

  • Transmitir conhecimento prático e teórico de acupuntura e moxabustão da escola japonesa, que possibilite exercer o atendimento clínico junto a pacientes com patologias e sintomas indicados para estes recursos de medicina oriental.

  • Formar profissionais práticos de acupuntura e moxabustão: acupuntores e acupunturistas.

 

Explicando os cursos da Escola Shinkyu Dojoh

A Escola Shinkyu Dojoh oferece cursos de terapias ancestrais e tradicionais do Japão, em formato que facilita tanto os iniciantes como os já formados em outras escolas de acupuntura. 

A formação completa Shinkyu Dojoh consiste nos seguintes cursos:

 

1. Treinamento e reconhecimento dos meridianos e principais tsubo (pontos), através do diagnóstico palpatório (Meridianologia);

2. Técnica de Agulhamento Japonês, estilo Suguiyama, Mei shin-kai;

3. Técnica de Moxaterapia Japonesa (técnica Onkyu, moxa indireta e moxa direta);

4. Curso Avançado de Acupuntura e Moxaterapia Japonesa (sistemas de tratamento, e tratamento das patologias).

São 2 anos e meio de formação, divididos em três módulos semestrais – Meridianologia, Técnica de Moxaterapia Japonesa e Técnica de Agulhamento Japonês –  e um anual – Curso Avançado de Acupuntura e Moxaterapia Japonesa. 

Os candidatos que entram pela primeira vez em contato com o universo da acupuntura e moxaterapia, assim como aqueles que não tem um conhecimento profundo dos meridianos e pontos desta técnica ancestral cursarão, dentro da Escola Shinkyu Dojoh, o primeiro módulo da formação do acupuntor intitulado “Meridianologia – Treinamento e reconhecimento dos meridianos e principais tsubo (pontos), através do diagnóstico palpatório”.

 

Para cursar o módulo de Moxaterapia Japonesa – a técnica que promove a regeneração e a saúde em geral através da aplicação de calor – é necessário como pré-requisito que o aluno possua conhecimentos de meridianologia. Para otimizar o rendimento e o tempo de nossos alunos, a Escola Shinkyu Dojoh oferece a possibilidade de cursar os dois primeiros módulos da nossa formação dentro do 1º semestre do ano, viabilizando que @ alun@ possa realizar Meridianologia e Moxaterapia no 1º semestre, e dar continuidade aos seus estudos no 2º semestre, cursando o módulo de Agulhamento Japonês, estilo Suguiyama, Mei shin-kai.

 

O curso de Técnica de Agulhamento Japonês tem como pré-requisito, além dos conhecimentos de meridianologia, conhecimentos de moxaterapia japonesa; e, para o Curso Avançado, o aluno deve possuir conhecimentos referentes a todos os três módulos anteriores.

 

Alunos que iniciaram sua formação em outras escolas de acupuntura, caso desejem iniciar seus estudos na Escola Shinkyu Dojoh poderão comprovar seus conhecimentos Meridianologia por meio de avaliação.

 

Equipe

Odo Sensei, nascido em Tokyo e formado pela Kuretake School como professor oficial de Acupuntura e Moxaterapia Japonesa, atua há mais de 38 anos como acupuntor no Japão e no Brasil, além de ministrar suas aulas em São Paulo e diversas cidades brasileiras. 

Trouxe ao Brasil a técnica An-ma de massagem japonesa, participando da fundação do Instituto Oniki, Escola de Massagem An-ma para Deficientes Visuais, no bairro de Vila Guilhermina, na Zona Leste de São Paulo, em 1991. 

Em 1999, o sensei Odo fundou a Clínica-Escola Shinkyu de Acupuntura e Moxaterapia Japonesa em São Paulo. 

Integrante da comissão japonesa para o tratado de Unificação Internacional dos pontos dos meridianos de acupuntura junto à WFAS (World Federation Acupunture Societies) durante os anos de 1988 e 1989, atualmente, Odo sensei é o único profissional no Brasil com chancela do Ministério de Educação e Ciência do Japão para ministrar cursos de Acupuntura Japonesa aqui no Brasil. 

 

Maria Victoria Cerezo Moreno nasceu em Andaluzia, Córdoba, na Espanha, radicada no Brasil, é formada em direção de filme, artes cênicas e dança. Discípula de Odo Sensei desde 2010, é instrutora de técnica de Moxaterapia Japonesa e Agulhamento Kanshin-Hô, estilo Suguiyama. Acupuntora no Espaço-Escola Shinkyu Dojoh(SP), e terapeuta de Cuidados Essênios e Egípcios segundo o método completo de Daniel Meurois e Marie Johanne Croteau, trabalhos que integram com o serviço de coordenação da Escola Shinkyu Dojoh.

 

Venha estudar com a gente! Seja um profissional com um conhecimento sincero, aprendendo das mãos experientes dos senseis japoneses do universo atual da Acupuntura e Moxaterapia Japonesa.

Envie um e-mail para maiores informações.
contato@escolashinkyudojoh.com.br
Ou pelo telefone (11) 941 11 11 91 (WhatsApp).

Atenciosamente,
Equipe Escola Shinkyu Dojoh