CURSO TÉCNICO DE AGULHAMENTO INDOLOR KANSHIN-HÔ

Agulhamento e teorias yin/yang, três campos e cinco elementos

01) TEORIAS E CONCEITOS TRADICIONAIS

  1. Introdução à filosofia do kiyin/yang, três campos e cinco elementos. (utilização dinâmica do diagrama dos cinco elementos desenvolvido por Shohaku Honma).
  2. Corpo humano segundo kiyin e yang e cinco elementos.
  3. Meridianos, órgãos e vísceras segundo yin/yang e cinco elementos.
    • Ciclo dos meridianos.
    • Três yin/três yang.
  4. Teorias do yin/yang, cinco elementos e pontos dos cinco elementos.

02) INICIAÇÃO À ACUPUNTURA

  1. As nove agulhas antigas.
  2. Agulhas japonesas, chinesas e coreanas.
  3. Comprimento e bitola das agulhas, formato da sua ponta.
  4. História da acupuntura japonesa, sua diferenciação em relação à chinesa.
  5. Origem, processo… atualidade.
  6. Waichi Suguiyama e invenção do Kan-shin-hô.
  7. Canaletas, bandejas.
  8. Treinamento de manuseio de canaletas – acostumar as mãos para boa coordenação dos dedos.
  9. Treinamento da mão base (Oshidê) – formato de meia-lua, formato de lua cheia, formatos variáveis de acordo com a anatomia do corpo.
  10. Conscientização e controle sobre pressão horizontal, pressão vertical e pressão de apoio.
  11. Método das canaletas com duas mãos (Ryôte-sôkan).
  12. Introdução da agulha na canaleta (Sôkan).
  • Treinamento do Seppi – Perfuração cutânea indolor. Treinamento pelo método Tanioka.
  1. Noções de Júnen – Zen-júnen (massagem preparatória antes da inserção) e Kô júnen (após remoção da agulha).
  2. Seleção do ponto, coordenação com a mão base.
  3. Encaixe da canaleta entre os dedos da mão base.
  4. Seppi em si mesmo e entre colegas com canaleta a 90º.
  5. Inserção: simples com deslizamento.
  6. Dicas: percepção da maleabilidade da agulha, do formato da ponta, resistência do fundo do ponto (tsubo).
  7. Remoção da agulha.
  8. Mão base para remoção.
  9. Velocidade de remoção. Dicas.

05) História da Acupuntura Japonesa no período pós Segunda Guerra Mundial (1945).

06) Meridianologia a partir das descobertas de Masaaki Maruyama e Yoshio Nagahama (1949).

07) Localização detalhada dos pontos dos membros superiores (com atualização segundo proposta japonesa junto à WFAS e acordo internacional dos países do leste asiático: Japão, Coreia e China).

10) Fukushin, diagnóstico abdominal japonês.

11) História e diferentes escolas de Fukushin.

12) Fukushin combinado de Haruto Kinoshita.

14) Localização detalhada dos pontos peitorais e abdominais.

15) Patologias indicadas, treinamento da percepção táctil.

16) Combinação dos pontos com o Fukushin.

17) TREINAMENTO DE INSERÇÃO INDOLOR

  1. Revisão de treinamento do dia anterior (repetir o método Tanioka).
  2. Treinamento de inserção indolor no próprio corpo (método Kanshin-hô descoberto e desenvolvido por Waichi Suguiyama no século XVII).
  3. Mão base, mão de inserção, Seppi.
  4. Inserir a cabeça da agulha em 3 toques (nunca com um toque único) – controle de força e direção no Seppi.
  5. Inserção em si mesmo no ponto E36.
  6. Diferentes sensações no Seppi: dor aguda, queimante, fisgada, reflexo, indolor.
  7. Noções sobre Hibiki, treinamento para a sua percepção: choquinho, choque, fisgada, reflexo, calor, pesado, queimação.
  8. Localização e inserção nos pontos da perna, pés e coxa.

18) Pontos principais das mãos e antebraço: Fonte (Guen), Passagem (Laku), Alarme (Gueki).

19) PESQUISAS DE KOBEI AKABANE

  1. Descobertas sobre a variação da termossensibilidade.
  2. Treinamento de avaliação da termossensibilidade nos pontos
  3. Pontos Sei e relação com os pontos Shu
  4. Hinaishin / treinamento.
  5. Descoberta de novos meridianos e pontos: experimento.

20) Fenômeno Seesaw (balança) por Kobei Akabane.

21) Tratamentos recomendados com o uso do Hinaishin.

22) Novos inventos pós-Hinaishin.

23) TREINAMENTO DE INSERÇÃO

  1. Treinamento e aplicação nos pontos principais na perna.
  2. Treinamento de inserção mais profunda: técnica de deslizamento, percepção do fundo do ponto.
  3. Experimentos sobre seu uso e efeito.
  4. Exercícios para fazer em casa, e se preparar para o módulo 4.

24) Revisão do treinamento do módulo 3 (importante: o avanço neste módulo depende de cada um ter treinado em casa durante as semanas que não teve aula).

25) Revisão do método Tanioka, da mão base, do Ryôte-sôkan, manipulação da  canaleta com uma única mão.

26) MÉTODO DE CANALETA COM UMA MÃO

  1. Treinamento de movimento rotatório da canaleta usando como eixo a falange proximal de dedo anelar. Descanso e avaliação a cada cem rotações.
  2. Inserção da agulha na canaleta com uma mão.
  3. Rotação da canaleta sem derrubar a agulha.
  4. Treinamento de inserção entre colegas.

(Este momento do treinamento vai depender muito da aplicação e concentração, onde o Katá – forma correta da mãos e dedos é adquirido com muita repetição, muito treinamento e dedicação).

26) REVISÃO DOS PONTOS ABDOMINAIS PARA DIAGNOSTICO E INSERÇÃO

  1. Pontos do VC. Referenciais ósseos e traçado dos meridianos do estômago.
  2. Revisão detalhada dos pontos (alarme abdominal).
  3. Diagnóstico Fukusuhin.
  4. Posição e formato correto da mão no diagnóstico.
  5. Ângulo de inserção, profundidade e percepção do fundo do ponto.
  6. Cuidados para não ocorrer pneumotórax e acidentes de inserção da agulha.

27) REVISÃO DAS DIVERSAS ESCOLAS DE FUKUSHIN

  1. Práticas de mapeamento
  2. Treinamento de diagnose.
  3. Treinamento de tratamento, aplicação da agulha entre colegas.

28) TÉCNICAS DE MANIPULAÇÃO NO KAN-SHIN-HÔ

  1. Pontos de tonificação, técnicas de tonificação.
  2. Percepção da respiração – inspiração e expiração, direção da agulha, suavidade na inserção, jakutaku, sen-nen.
  3. “Timing” da remoção – de acordo com a respiração.
  4. Troca de percepção quando ocorre a tonificação.
  5. Pontos de sedação e técnicas de sedação.
  6. Percepção quando se realiza a sedação.
  7. Assepsia e esterilização.

29) REGIÃO COSTAL

  1. Localização dos pontos costais: lombar, costas, interescapular e glútea.
  2. Conceito e noção dos pontos Yu
  3. Diagnóstico dos pontos Yu.
  4. Diagnóstico da raquialgia.
  5. Inserção e cuidados: ênfase no cuidado em relação ao pneumotórax.
  6. Treinamento das técnicas de manipulação da agulha inserida (Jakutaku, Sen-nem, Tenkô-hô).

30) ASSEPSIA E ESTERILIZAÇÃO

31) TÉCNICAS DE MANIPULAÇÃO DA AGULHA INSERIDA

  1.  
  2.  
  3. Kanketsu.
  4. Shinsen.
  5. Chishin.
  6. Sen-nem.
  7. Kaisen.
  8. Jishi-dahô.
  9. Shinsen tenko-hô.
  10. Naityô.

INFORMAÇÕES SOBRE OS CURSOS 2º SEMESTRE 2020

Calendário Horário: 08h30 às 17h00 Agosto/2020 – Dez/2020 Aulas aos sábados e domingos. 

– Curso de Técnico de Agulhamento Indolor Kanshin-hô: primeiro final de semana de cada mês; 

– Curso de Moxaterapia Japonesa: terceiro final de semana de cada mês. 

PREÇOS E MODALIDADES DE PAGAMENTO POR CURSO – ATÉ 05 DE JULHO Matrícula* R$110,00 

– R$2.250,00 valor integral – À vista 10% de desconto, economia de R$225,00, via depósito bancário ou  Paypal; – Parcelamento em até cinco vezes, via depósito bancário ou Paypal. 

 

PREÇOS E MODALIDADES DE PAGO POR CURSO – APÓS 05 DE JULHO: Matrícula** R$110,00 

– R$2.400,00 valor integral – À vista 10% de desconto, economia de R$240,00, via depósito bancário ou Paypal; – Parcelamento em até cinco vezes, via depósito bancário ou Paypal

DESCONTOS 

10% para pagamentos à vista 10% quem se inscrever nas duas turmas 

20% para quem trouxer um amigo/a para formar parte da turma 

 

Os dados bancários para depósito serão encaminhados após envio da ficha de inscrição; O parcelamento via Paypal será encaminhado via boleto; Para pagamento do valor integral do curso via Paypal/Cartão de Débito e Crédito